FANDOM


Tente Traduzir algum desses textos para sua lingua 

o Pai nossoEditar

Pai Nosso que estais nos Céus,
santificado seja o Vosso Nome,
venha a nós o Vosso Reino,
seja feita a Vossa vontade
assim na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje,
perdoai as nossas ofensas
assim como nós perdoamos
a quem nos tem ofendido,
e não nos deixeis cair em tentação,
mas livrai-nos do Mal.
Amém.

Declaração de direitos humanosEditar

        Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão  e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade.   

        Toda pessoa tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração, sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua,  religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição. 

        Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

        Ninguém será mantido em escravidão ou servidão, a escravidão e o tráfico de escravos serão proibidos em todas as suas formas.   

        Ninguém será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

        Toda pessoa tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecida como pessoa perante a lei.   

O PEQUENO PRINCIPE(trechos famosos)Editar

Deveria ter percebido sua ternura por trás daquelas tolas mentiras. As flores são tão contraditórias! Mas eu era jovem demais para saber amá-la.

Se alguém ama uma flor da qual só exista um exemplar em milhões e milhões de estrelas, isso basta para fazê-lo feliz quando as comtempla. ele pensa "Minha flor está lá, em algum lugar..." Mas se o carneiro come a flor, é, para ele, como se todas as estrelas se repentinamente se apagassem! E isto não tem importância?

"Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que a fez tão importante

A gente só conhece bem as coisas que cativou - disse a raposa.

- Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma.

Compram tudo já pronto nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos,

os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!

Tú se tornas ETERNAMENTE responsavél, por aquilo que cativas!

Vai ver as rosas. Assim compreenderás que a tua é única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te presentearei com um segredo.”

Eis o meu segredo. É muito simples:

só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos

Tente escrever um trecho desses textos em sua lingua criada para mostrar a todos como ela fica e servir como base de testes para sua lingua.

Hino Nacional BrasileiroEditar

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas

De um povo heróico o brado retumbante,

E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos,

Brilhou no céu da Pátria nesse instante.

Se o penhor dessa igualdade

Conseguimos conquistar com braço forte,

Em teu seio, ó Liberdade,

Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada,

Idolatrada,

Salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido

De amor e de esperança à terra desce,

Se em teu formoso céu, risonho e límpido,

A imagem do Cruzeiro resplandece.


Gigante pela própria natureza,

És belo, és forte, impávido colosso,

E o teu futuro espelha essa grandeza

Terra adorada,

Entre outras mil,

És tu, Brasil,

Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,

Pátria amada,

Brasil!

A internacionalEditar

De pé, ó vitimas da fome!

De pé, famélicos da terra!

Da idéia a chama já consome

A crosta bruta que a soterra.

Cortai o mal bem pelo fundo!

De pé, de pé, não mais senhores!

Se nada somos neste mundo,

Sejamos tudo, oh produtores!

Bem unido façamos,

Nesta luta final,

Uma terra sem amos

A Internacional

Senhores, patrões, chefes supremos,

Nada esperamos de nenhum!

Sejamos nós que conquistemos

A terra mãe livre e comum!

Para não ter protestos vãos,

Para sair desse antro estreito,

Façamos nós por nossas mãos

Tudo o que a nós diz respeito!

Bem unido façamos,

Nesta luta final,

Uma terra sem amos

A Internacional

Oração de São Francisco de AssisEditar

Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz;

Onde houver ódio, que eu leve o amor;

Onde houver discórdia, que eu leve a união;

Onde houver dúvidas, que eu leve a fé;

Onde houver erros, que eu leve a verdade;

Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;

Onde houver desespero, que eu leve a esperança;

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;

Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, fazei com que eu procure mais consolar,

que ser consolado;

Compreender, que ser compreendido;

Amar, que ser amado;

Pois é dando que se recebe;

É perdoando, que se é perdoado;

E é morrendo que se vive para a vida eterna.

CamõesEditar

Busque Amor novas artes, novo engenho

para matar-me, e novas esquivanças;

que não pode tirar-me as esperanças,

que mal me tirará o que não tenho.

Olhai de que esperanças me mantenho

Vede que perigosas seguranças!

Que não temo contrastes, nem mudanças,

andando em bravo mar, perdido o lenho.

Mas, conquanto não pode haver desgosto

onde esperança falta, lá me esconde

Amor um mal que mata e não se vê.

Que dias há que na alma me tem posto

um não sei quê, que nasce não sei onde,

vem não sei como e dói não sei porquê.

Fernando pessoaEditar

NÃO: Não quero nada.  

Já disse que não quero nada. Não me venham com conclusões!   A única conclusão é morrer.

Não me tragam estéticas!   Não me falem em moral!

Tirem-me daqui a metafísica!   Não me apregoem sistemas completos, não me enfileirem conquistas   Das ciências (das ciências, Deus meu, das ciências!) —   Das ciências, das artes, da civilização moderna!

Que mal fiz eu aos deuses todos?

Se têm a verdade, guardem-na!

Sou um técnico, mas tenho técnica só dentro da técnica.   Fora disso sou doido, com todo o direito a sê-lo.   Com todo o direito a sê-lo, ouviram?

Não me macem, por amor de Deus!

Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável?   Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer coisa?   Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade.   Assim, como sou, tenham paciência!   Vão para o diabo sem mim,   Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!   Para que havemos de ir juntos?

Não me peguem no braço!   Não gosto que me peguem no braço.  Quero ser sozinho.    Já disse que sou sozinho!   Ah, que maçada quererem que eu seja da companhia!

Ó céu azul — o mesmo da minha infância —   Eterna verdade vazia e perfeita!    Ó macio Tejo ancestral e mudo,   Pequena verdade onde o céu se reflete!   Ó mágoa revisitada, Lisboa de outrora de hoje!   Nada me dais, nada me tirais, nada sois que eu me sinta.

Deixem-me em paz!  Não tardo, que eu nunca tardo...   E enquanto tarda o Abismo e o Silêncio quero estar sozinho!

IsmaliaEditar

Quando Ismália enlouqueceu, Pôs-se na torre a sonhar... Viu uma lua no céu, Viu outra lua no mar.

No sonho em que se perdeu, Banhou-se toda em luar... Queria subir ao céu, Queria descer ao mar...

E, no desvario seu, Na torre pôs-se a cantar... Estava perto do céu, Estava longe do mar...

E como um anjo pendeu As asas para voar... Queria a lua do céu, Queria a lua do mar...

As asas que Deus lhe deu Ruflaram de par em par... Sua alma subiu ao céu, Seu corpo desceu ao mar...

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória